02 dez

Crônica: Um abraço ao lago das águas claras

 

Antes era ali um belo lago de águas bem claras, limpas, com peixes de várias espécies a habitarem-no, e também várias plantas aquáticas, vegetações diversas a se instalarem ali no Lago das Águas Claras. Um lago de águas tão úteis que além de possibilitar naquele território um ecossistema favorável aos peixes e plantas aquáticas, também saciava a sede de animais e até das humildes pessoas daquelas proximidades, como também o lazer: crianças a nadarem e velejarem, pois os pequenos barcos e canoas quando não estavam parados abaixo das árvores nas margens do lago eram de estar com donzelas e jovens enamorados a navegarem pelas suas águas.
Com o tempo o lago foi mudando de feições, com o acelerar do processo urbano em suas proximidades, e com a falta de planejamento habitacional fora sofrendo agressões como acumulação de lixos que o poluíam e afetavam gravemente suas águas, seus peixes e suas plantas aquáticas, meninos e meninas foram deixando de usufruírem do lazer que antes se deleitavam, suas águas já não estavam apropriadas nem para matar a sede dos animais, nem das humildes pessoas que habitavam em suas redondezas. Então começou por um pequeno grupo de pessoas um movimento de luta pela recuperação do lago, pela sua despoluição; grupo este que logo conseguiu mobilizar toda a comunidade, pois, sem ele os peixes, as plantas aquáticas, o saciar da sede das pessoas e dos animais e o lazer deixavam de existirem, era o fim do gosto pela vida. É que aquele lago não era apenas um adereço, um aspecto da natureza, e sim uma vida, um ecossistema, um ser vivente, um irmão das outras formas de vidas existentes naquela área geográfica. E por isso que de tanto retribuir com benefícios a todos os seres viventes daquela área pensou-se também de fazer realizar algo pela sua despoluição, pela sua sobrevivência. Notas de reivindicações foram encaminhadas aos políticos locais, cartazes e programas de conscientização ambiental foram divulgados e um compromisso verdadeiro de amor fraterno foi selado pela comunidade em prol da saúde daquele lago.
um grande trabalho de limpeza foi arquitetado pelos moradores da região, cânticos, poemas com manifestações de amor e zelo foram entoados, caminhadas pacíficas e belas celebrações religiosas foram realizadas e com o passar dos dias o lago foi se recuperando, suas águas foram se revigorando, seus peixes e plantas ganharam forças, e quando a tão sonhada realidade chegou no ponto desejado toda a comunidade reuniu-se de mãos dadas em círculo, numa ciranda ao redor de todo o lago e a dar-lhe aquele abraço fraterno, um grade abraço ao Lago das águas claras com uma mística e espiritualidade ecológica que nunca havia se visto antes, e após o abraço ao lago todos ali presentes abraçavam-se e exaltavam-se de alegria pelo grande feito.
É importante e urgente que nos tornemos conscientes e possamos sempre selar um compromisso com o meio ambiente, que possamos sempre desenvolver o amor e o respeito pela natureza, e que não fiquemos apenas só a ouvir os lamentos de que o meio ambiente, a natureza ou um lago está sendo poluído, mas, que brote em cada um de nós atitudes verdadeiras que promovam a preservação ambiental, pois se a natureza precisa de nós, é que nós também precisamos do convívio saudável com ela.

(Crônica  do Professor e escritor Francisco Martins Silva)

Notícias Relacionadas

Faça seu Comentário